Vacina gera resposta imunológica contra coronavírus em teste em humanos nos EUA. Entenda


A vacina aparentemente produziu uma resposta imune em oito pacientes

JAILTON JR./JC IMAGEM
A fase 3, de testes em mais pessoas, começará em julho – FOTO: JAILTON JR./JC IMAGEM
Leitura:

A empresa de biotecnologia dos EUA Moderna anunciou nesta segunda-feira (18) que obteve resultados “positivos provisórios” na fase inicial dos ensaios clínicos de sua vacina contra o novo coronavírus por oito voluntários, a serem ampliados em larga escala em julho.

O composto produziu uma resposta imune em oito pacientes que o receberam, aproximadamente da mesma magnitude daqueles que pegaram o vírus, informou a empresa.

“A fase provisória 1, embora em estágio inicial, demonstrou que a vacinação com o mRNA-1273 produz uma resposta imune da mesma magnitude que a provocada por infecção natural”, afirmou Tal Zaks, diretor médico da Moderna, em comunicado.

A empresa afirmou que a vacina “tem potencial para prevenir a COVID-19”.

>> Veja o avanço na busca pela vacina contra o coronavírus no mundo

>> Coronavírus: veja vacinas já liberadas para teste e entenda as etapas até liberação para aplicação

Essa primeira fase também procurou verificar se a vacina não é tóxica. A Moderna relatou apenas alguns efeitos colaterais menores, como vermelhidão no local da injeção.

A americana Moderna foi uma das primeiras empresas a fazer testes em humanos a partir de 16 de março.

Atualmente, existem apenas 12 ensaios clínicos em humanos no mundo, metade dos quais são projetos chineses, segundo a London School of Medicine and Hygiene.