Sem sabão e máscara, enfermeiros de Pernambuco ameaçam greve por falta de proteção contra coronavírus


Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Pernambuco (Seepe) deve manter apenas 50% dos profissionais trabalhando

FÁBIO COSTA/JC IMAGEM
Classe ameaça paralisar as atividades a partir desta segunda-feira – FOTO: FÁBIO COSTA/JC IMAGEM
Leitura: 6min

Sem sabão, máscaras e álcool em gel. O que parece essencial para o trabalho de qualquer profissional de saúde em tempos da pandemia do novo coronavírus, falta nos hospitais estaduais de Pernambuco, de acordo com a denúncia de enfermeiros vinculados às unidades médicas. Por isso, a classe ameaça paralisar as atividades a partir desta segunda-feira (23).

A intenção do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Pernambuco (Seepe), que organiza o movimento, é manter 50% dos profissionais trabalhando. A associação diz ainda não ter recebido quaisquer respostas do Governo de Pernambuco sobre a falta dos equipamentos de proteção individual (IPIs).

Nesta quarta-feira (18), haverá uma reunião entre a classe e a Secretaria de Saúde do Estado, às 14h30, que deve definir se os enfermeiros irão deflagrar a greve, de acordo com Ludmila Outtes, presidente do Seepe e enfermeira do Hospital da Restauração (HR), localizado no Centro do Recife.

“Não tem condições de trabalho. A gente está sem equipamentos de proteção, não tem máscara, não tem sabão para lavar as mãos nem álcool em gel e estamos colocando nossa vida em risco em meio à essa pandemia do [novo] coronavírus”, denuncia a presidente.

Resposta

Em resposta ao JC, a Secretaria Estadual de Saúde informou que já iniciou processo de compra emergencial de equipamentos de proteção individual para as unidades estaduais de saúde, e que as direções têm feito um trabalho de conscientização dos seus profissionais sobre o uso adequado dos EPIs, como máscaras respiratórias, avental descartável, luvas de segurança e toucas.

“É importante destacar que o uso adequado dos EPIs busca evitar o desperdício dos equipamentos e o desabastecimento desses itens nos serviços de saúde”, explicitou, em nota. “A SES reforça que as unidades estão abastecidas dos insumos básicos de limpeza e higiene”, esclareceu.

Acerca da ameaça de greve, o órgão informou que, até o momento, as unidades sob gestão estadual estão funcionando normalmente, sem relatos de faltas de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, e que está em constante diálogo com a categoria, tomando todas as medidas necessárias para garantir a assistência da população e dos funcionários da rede.

Confira a nota completa

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) informa que, no cenário atual, as direções das unidades estaduais têm feito um trabalho permanente de conscientização dos seus profissionais sobre o uso adequado e oportuno dos equipamentos de proteção individual (EPIs) – como máscaras respiratórias, avental descartável, luvas de segurança e toucas – para os trabalhadores que atuam na área da saúde.

Todos os profissionais da rede estão sendo orientados quanto às regras citadas e, inclusive, são convidados a participar de capacitações periódicas realizadas pelas Comissões de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) das unidades sobre o assunto.

É importante destacar que o uso adequado dos EPIs busca evitar o desperdício dos equipamentos e o desabastecimento desses itens nos serviços de saúde. Independentemente da circulação da Covid-19, os serviços já seguem protocolos padrões para uso de EPIs, como durante a realização de procedimentos cirúrgicos e em casos de risco de exposição a fluidos biológicos.

Importante frisar que as unidades sob gestão estadual estão funcionando normalmente, sem relatos de faltas de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem. A SES-PE também está em constante diálogo com a categoria e irá tomar todas as medidas necessárias para garantir a assistência da população e dos funcionários da rede, nesse momento de emergência pública em saúde. Por fim, a SES-PE já iniciou processo de compra emergencial de equipamentos de proteção individual para as unidades.

A SES reforça que as unidades estão abastecidas dos insumos básicos de limpeza e higiene.

AFP
Coronavírus vem se espalhando pelo mundo – FOTO:AFP