Rivaldo vê Brasil como favorito para Copa e prega menos cobrança sobre Neymar


Rivaldo vê Brasil como favorito para Copa e prega menos cobrança sobre Neymar

Meia também recordou início de carreira no Santa Cruz e ascensão pelo Barcelona

'Os outros tem que pegar um pouco dessa responsabilidade', disse / Foto: Luana Ponsoni/ JC

‘Os outros tem que pegar um pouco dessa responsabilidade’, disse

O craque pernambucano Rivaldo é uma das estrelas que entram em campo neste sábado no confronto entre Seleção Pernambucana e Barcelona Legends. Em coletiva realizada nesta sexta, o ex-jogador comentou sobre a expectativa para a Copa do Mundo e relembrou o início de carreira.

“Espero que o Brasil possa fazer uma grande Copa do Mundo, porque está indo como favorito. Depois de tudo que passou conseguiu aqui em 2014 e depois de quatro voltar a ser uma seleção forte e favorita, mas sempre digo que não vai ser fácil. Não é uma Copa América, não é como Eliminatórias. E quando chega aquele mata-mata, aí sim tem que ter personalidade para jogar esse jogo”, pontuou.

Sobre a cobrança em cima do atacante do Paris Saint-Germain e da seleção brasileira Neymar, o meia defendeu que a equipe tem muitos outros jogadores talentosos. “No momento, temos que pensar em recuperar ele. E não jogar a responsabilidade só em cima do Neymar, acho que a seleção é forte, tem muitos bons jogadores. Temos que dividir, então os outros têm que pegar um pouco dessa responsabilidade principalmente porque ele está vindo de uma operação”, ressaltou.

Início da carreira

Outro assunto comentado por Rivaldo foi o começo no Santa Cruz no início dos anos 1990. O ex-atleta destacou o fato de ter saído do Tricolor do Arruda e retornar ao Estado como lenda do Barcelona e com glórias pela seleção.

“Alegria enorme. Todos nós nordestinos sabemos da dificuldade que é, então me considero um guerreiro de ter saído daqui e chegar a ser considerado melhor jogador do mundo e campeão do mundo. Quando venho a Pernambuco fico viajando no tempo por tudo que passei pela situação da minha infância. Tem entrevistas de quando era moleque e meu sonho era ser ídolo no Santa Cruz e hoje sou ídolo mundialmente”, destacou.