Pernambuco tem pior surto de conjuntivite desde 2008, diz hospital


Fundação Altino Ventura atendeu 37 mil pacientes no período entre janeiro e 14 de maio. Nos 12 meses de 2017, foram 27.281 casos da doença.

Pernambuco enfrenta maior surto de conjuntivite dos últimos dez anos, diz hospital

Pernambuco enfrenta maior surto de conjuntivite dos últimos dez anos, diz hospital

De janeiro de 2018 até 14 de maio, a Fundação Altino Ventura, no bairro da Boa Vista, no Centro do Recife, atendeu 37.047 pacientes com conjuntivite. A maioria deles é de Pernambuco, que enfrenta o pior surto da doença desde 2008. Isso levou a fundação a pedir apoio ao governo do estado para que os pacientes possam ser atendidos nas Unidades de Pronto-Atendimento (UPA).

O número de casos neste ano já supera o total registrado em 2017 inteiro, quando houve 27.281 casos da doença.Referência em oftalmologia nas regiões Norte e Nordeste, a Fundação Altino Ventura informou que aumento no número de casos começou em novembro do ano passado e que aproximadamente 3% das pessoas atendidas na emergência da unidade de saúde são turistas.

Os médicos não conseguem explicar os motivos do acréscimo. De acordo com a oftalmologista Edilana Sá, o surto surpreendeu os profissionais de saúde pela intensidade e duração.

“Este é o maior surto que vivenciamos em dez anos e está surpreendendo pela duração e pelo maior número de pacientes acometidos. Como o contágio da conjuntivite ocorre basicamente por meio de secreções, é importante lavar as mãos com frequência e, na impossibilidade de fazer isso, usar álcool em gel. Em hipótese nenhuma, deve-se pôr as mãos nos olhos”, afirma a médica.

Fundação Altino Ventura atende pacientes com a doença (Foto: Reprodução/TV Globo)Fundação Altino Ventura atende pacientes com a doença (Foto: Reprodução/TV Globo)

Fundação Altino Ventura atende pacientes com a doença (Foto: Reprodução/TV Globo)

Por causa do surto, a emergência da Fundação Altino Ventura, que tem capacidade para 400 atendimentos por dia, está superlotada. Por vezes, o local chegou a receber 1.400 pessoas em um único dia. A média é de mil consultas diárias.

“A gente não tem como dizer o que está causando o surto, que vem se estendendo. Estamos aguardando que a Secretaria Estadual de Saúde mande as unidades que estão disponíveis para que possam fazer esse atendimento”, ressalta a médica Adriana Gois.

A Secretaria Estadual de Saúde informou que realizou uma capacitação na rede primária e de urgência para reforçar o protocolo de atendimento para casos da doença. Com isso, as equipes de saúde da família, postos de saúde, UPAs e Upinhas estão capacitadas para prestar o atendimento inicial.