Funase: 14 internos são recapturados após motim e fuga de 56 no Cabo


A Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) divulgou, na manhã desta segunda-feira (2), o primeiro balanço das fugas do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case), no Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife. Segundo a Funase, 56 socioeducandos fugiram da unidade no domingo (1º) e, até as 6h desta segunda, 14 haviam sido recapturados. A contagem foi finalizada no final da noite após aabertura e revista de cada uma das alas.

O tumulto começou por volta das 17h e foi controlado cerca de duas horas depois com apoio da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE). De acordo com as apurações iniciais da fundação, o motim foi provocado para viabilizar fugas, que ocorreram por meio de umburaco aberto no muro pelos socioeducandos. Esta passagem já foi fechada.

Um interno de 19 anos foi ferido na cabeça por um objeto cortante e recebeu atendimento médico no Hospital Dom Hélder, também no Cabo de Santo Agostinho. O suspeito de ter provocado o ferimento – um outro interno de 19 anos – foi conduzido à delegacia.

A Funase afirma que, em razão da rápida ação dos policiais militares, houve poucos danos ao patrimônio público da instituição. Todos os casos serão investigados pela Corregedoria. A nota da instituição destaca ainda que o motim é considerado uma exceção na unidade, considerada “pacificada e que não registrava motins havia vários anos”.

   Melhorias

Nos próximos dias, o Governo do Estado deve lançar um edital de seleção simplificada para a contratação de 496 agentes socioeducativos para atuar em unidades da Região Metropolitana do Recife, inclusive no Case Cabo. Recentemente, a Funase a instituição entrou no Sistema Estadual de Inteligência de Segurança Pública (Seinsp), o que permite maior integração a outros órgãos de segurança pública.