Empresário paga R$70 mil para matar concorrente após rixa em Araripina


De acordo com o delegado Bruno Vital, diretor da Polícia Civil no Sertão, as desavenças começaram quando Geraldo do Gesso, como era conhecido, quis regularizar as empresas gesseiras da região / Foto: Divulgação/ Polícia Civil

De acordo com o delegado Bruno Vital, diretor da Polícia Civil no Sertão, as desavenças começaram quando Geraldo do Gesso, como era conhecido, quis regularizar as empresas gesseiras da região
Foto: Divulgação/ Polícia Civil
JC Online

Foi preso o homem suspeito de ser o mandante da morte do empresário Geraldo Antônio do Nascimento, de 46 anos, em fevereiro deste ano, na cidade de Araripina, no Sertão. Segundo a Polícia Civil, Samuel Medeiros de Lima, que também é empresário, teria pago R$ 70 mil para que três homens cometessem o crime. Ele foi preso no último dia 7.

A vítima e o mandante teriam uma rixa por causa dos negócios, já que ambos eram empresários do ramo do gesso. De acordo com o delegado Bruno Vital, diretor da Polícia Civil no Sertão, as desavenças começaram quando Geraldo do Gesso, como era conhecido, quis regularizar as empresas gesseiras da região. Samuel não concordou com a ideia e começou a criar raiva da vítima.
Os dois moravam em propriedades rurais próximas e, segunda a polícia, diversos animais de Geraldo teriam aparecido mortos. A vítima acusou Samuel e a rixa aumentou.

O suspeito teria pago R$ 70 mil a três homens para que Geraldo do Gesso fosse morto. Um dos suspeitos, Francisco Leandro Leal da Silva, de 32 anos, foi preso no dia 12 de maio. Ele teria sido o responsável por passar a localização e a rotina da vítima. Além disso, Leandro também teria conseguido a arma do crime. Após o crime, o suspeito teria se escondido na cidade de Campina Grande, na Paraíba. Sabendo que a Polícia tinha descoberto seu paradeiro, o homem fugiu para Caruaru, no Agreste de Pernambuco, mas foi preso no mesmo dia.

Os outros dois suspeitos já foram identificados, mas continuam foragidos. De acordo com a polícia, falta pouco para que o caso seja encerrado. Samuel e Leandro foram encaminhados à Cadeia Pública de Afogados da Ingazeira, também no Sertão pernambucano.

Relembre

O empresário Geraldo do Gesso, dono da Padrão Gypsum, foi morto na tarde do dia 28 de fevereiro na PE-615. A vítima estava indo para a mina de gesso quando foi abordado por dois suspeitos, que estariam em um veículo modelo Saveiro, de cor branca.

A vítima foi atingida na cabeça e não resistiu. A arma do crime ainda não foi encontrada.