Brasil perde para a Bélgica por 2×1 e está eliminado da Copa do Mundo


Os gols foram marcados por Fernandinho (contra) e De Bruyne, enquanto Renato Augusto descontou para os brasileiros

Brasil para na boa geração belga / Foto: AFP

Brasil para na boa geração belga

O Brasil está eliminado da Copa do Mundo. A seleção não conseguiu passar pelo bom time da Bélgica e acabou derrotado por 2×1, nesta sexta-feira, na Arena Kazan, pelas quartas de final do Mundial da Rússia. A desclassificação brasileira começou a ser desenhada após um péssimo primeiro tempo e ir para o intervalo perdendo por dois gols de diferença: gols de Fernandinho (contra), De Bruyne. Mesmo com uma reação na etapa complementar, com Renato Augusto descontando, a seleção canarinho não teve forças para virar ou ao menos empatar para levar o jogo para a prorrogação.

Com a vitória, a promissora seleção da Bélgica terá pela frente a França, na próxima terça-feira, às 15h, em São Petersburgo, em confronto válido pelas semifinais.

O JOGO

O embate entre Brasil e Bélgica começou bastante estudado. A apreensão das duas seleções para não dar brecha para o adversário sair na frente do placar era evidente. Apesar de os brasileiros começarem com mais posse, os belgas utilizaram uma estratégia bem interessante ao marcar com linhas altas, dificultando e muito a saída de bola da seleção canarinho. Tanto que com apenas um minuto de bola rolando, De Bruyne já tinha roubado a bola de Fernandinho e chutado com perigo.

Ainda com base na análise tática, para a surpresa geral, o centroavante Lukaku não estava jogando centralizado, entre os zagueiros. O técnico Roberto Martínez o posicionou aberto pela direita para jogar nas costas de Marcelo, enquanto Hazard batia de frente com Fagner. Já o cérebro do time, De Bruyne, com a entrada de Fellaini na cabeça de área, tinha total liberdade para armar a equipe, sem tanta preocupação com a marcação.

Diante dessa armadilha, o Brasil tentava rodar a bola e chegar ao ataque pelos lados, com Neymar e Willian, mas os dois estavam bem marcados. Mesmo com as dificuldades, a primeira chance clara foi brasileira. Aos sete minutos, após cobrança de escanteio de Neymar, Miranda desviou de cabeça na primeira trave, a bola bateu na coxa de Thiago Silva e foi na trave. No rebote, Courtois segurou. Porém, na sequência da jogada, os belgas responderam à altura. Contra-ataque puxado por Lukaku, que ganhou de Fernandinho na velocidade, foi à linha de fundo e rolou para De Bruyne fazer o pivô e rolar para Hazard chegar chutando, mas Miranda se jogou no lance para bloquear a bola.

As cobranças de escanteio seguiam como o ponto fraco da seleção brasileira nessa Copa (o único gol que tinha sofrido foi contra o Suíça, de bola alçada). Aos 12 minutos, após batida de Chadli, Kompany subiu sozinho sem conseguir cabecear, mas a bola acabou desviando no ombro de Fernandinho e foi contra a própria meta: 1×0.

O gol mexeu com os comandados de Tite, que começaram a errar passes bobos. Fernandinho, bastante abatido após o lance de infelicidade, estava perdido em campo e deixava muito espaço pelo meio. Sem conseguir fazer a bola chegar redonda no ataque, os brasileiros passaram a arriscar de fora da área: uma com Philippe Coutinho e outra com Marcelo. Nas duas, Courtois apareceu para impedir o empate.

Nesse momento, a Bélgica já estava melhor em campo: bem postada, com controle da partida e com as contra-ofensivas bem articuladas para matar o jogo. E foi o que aconteceu. Aos 30, Lukaku disparou com total liberdade pelo meio, Fernandinho e Paulinho não mataram a jogada e, na sequência, o camisa 9 abriu na direita para De Bruyne livre dominar e chutar no canto de Alisson: 2×0.

SEGUNDO TEMPO

Na volta do intervalo, Tite apostou na entrada de um segundo centroavante e colocou Firmino no lugar de Willian. A mudança não surtiu muito efeito, pois a bola sempre chegava quebrada dentro da área. Para tentar consertar esse passe, mais uma mudança: Douglas Costa na vaga de Gabriel Jesus. Com a troca, o Brasil passou a jogar de maneira mais vertical, mas ainda sem muito intensidade.

Fechadinho, a seleção belga queria uma chance para matar de fez o jogo. E quase veio aos 16 minutos. De Bruyne desceu em velocidade, rolou para Hazard na esquerda emendar um chute cruzado raspando a trave de Alisson. No lance seguinte, o Brasil deu a resposta com Douglas Costa. O meia-atacante passou por Vertonghen e chutou forte em cima de Courtois.

Com mais posse e alugando o campo defensivo da Bélgica, o Brasil se aproximava do gol. Ele aconteu aos 30, quando Philippe Coutinho achou um lançamento por elevação para Renato Augusto cabecear no cantinho e diminuir o placar: 2×1. Aos 35, quase que essa tabelinha funcionava mais uma vez. Desta vez por baixo, Coutinho rolou para Renato chutar rasteiro da entrada da área, mas a bola passou raspando a trave.

O Brasil lutou até o final e ainda criou duas oportunidades com Firmino e Coutinho dentro da área, mas não conseguiram evitar a eliminação brasileira.

Ficha do jogo

BRASIL

Alisson; Fagner, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Fernandinho e Paulinho (Renato Augusto); Neymar, Philippe Coutinho e Willian (Fimino); Gabriel Jesus (Douglas Costa). Técnico: Tite.

BÉLGICA

Courtois; Meunier, Alderweireld, Kompany e Vertonghen; Witsel e Fellaini; Hazard, De Bruyne e Chadli (Vermaelen); Lukaku (Tielemans). Técnico: Roberto Martínez.

Local: Arena Kazan.
Árbitro: Milorad Mazic (Sérvia).
Assistentes: Milovan Ristic e Dali Djurdjevic (ambos da Sérvia).
Gols: Fernandinho (contra), aos 12 minutos, e De Bruyne, aos 30 do 1º tempo. Renato Augusto, aos 30 do 2º tempo.
Cartões amarelos: Alderweireld e Meunier (Bélgica).