Band e Record querem contratar William Waack


William Waack pode assinar contrato com a Band. (Foto: Reprodução)
William Waack pode assinar contrato com a Band ou Record. (Foto: Reprodução)

Dispensado pela TV Globo há pouco tempo de forma oficial, o jornalista William Waackdeve retornar em breve para alguma emissora de televisão aberta. O passe do veterano no jornalismo está sendo disputado por duas grandes emissoras, que já fazem planos caso a contratação aconteça.

 

De acordo com informações do jornalista Flávio Ricco, a direção da Record e a direção da Band já fizeram algumas investidas e mostraram o desejo de contar com o ex-âncora do Jornal da Globo no time de jornalistas. Nada ainda foi definido por parte de William.

A decisão de Waack, se vai ou não vai para alguma emissora, deve sair em breve. O jornalista foi dispensado pela TV Globo após um vídeo seu, dizendo palavras preconceituosas, vazar nas redes sociais no final do ano passado.

WILLIAM WAACK JÁ SE MANIFESTOU SOBRE SAÍDA DA TV GLOBO

O jornalista William Waack resolveu se manifestar pela primeira vez sobre a polêmica do ano passado, após a demissão da Globo. Na emissora, ele trabalhou por vários anos no comando do Jornal da Globo, até ser dispensado por conta de comentários racistas que fez enquanto estava fora do ar.

Esses comentários foram vazados meses depois e causaram revolta no público nas redes sociais, fazendo com que ele fosse afastado imediatamente e demitido semanas depois. Em entrevista ao canal do jornalista Marcelo Bonfá no youtube, Waack se expressou pela primeira vez em conversa com um profissional. Anteriormente, ele já havia feito um desabafo ao publicar um artigo no jornal Folha de São Paulo.

“Eu estava brincando com Paulo Sotero, como acontece muito com apresentadores antes de transmissões, é até uma maneira de aliviar a tensão, o que não justifica o que eu disse, eu quero deixar isso bem de cara. Foi uma piada cochichada no ouvido de Paulo e esse trecho foi roubado por dois rapazes de dentro da Rede Globo. E o restante da história é conhecido”, iniciou Waack ao comentar sobre a polêmica.

Questionado se fez uma declaração racista, William foi direto: “Não acho que foi um comentário racista de jeito nenhum. Eu fiz uma brincadeira citando um amigo meu Gil Moura, cinegrafista, que foi acusado de não ser preto o suficiente. Ele saiu em minha defesa e foi acusado de não ser preto. Isso é racismo!”, comentou. “Quem não fala uma merda entre amigos? Quem é que está em um ambiente relaxado, brincando e não fala uma bobagem na qual não acredita? Por isso quero reiterar. Eu não fiz um comentário racista. Eu fiz uma piada. Piada não é manifestação racista. Um pensamento racista nunca poderá ser uma piada. Aqueles que se sentiram ofendidos, minhas desculpas, não era minha intenção. Não sou racista!”, concluiu.

Vale lembrar que no momento da polêmica, Gil, o cinegrafista, publicou um texto em defesa ao jornalista. “Eu sou preto. Já trabalhei com ele [William] na França, em Portugal, na Espanha, na Índia e em São Paulo. Nesta caminhada de 30 anos, fazendo imagens e contando histórias, poucos colegas foram tão solidários quanto o velho Waack. Ele faz parte dos pouquíssimos globais que carregam o tripé para o repórter cinematográfico preto ou branco. Na verdade, não me lembro de ninguém na Globo que o faça. O velho sabe para que serve cada botão da câmera e o peso do tripé”, afirmou Moura em um dos trechos.

Ainda na conversa com Marcelo Bonfá, Waack assegurou que os seus amigos negros não ficaram decepcionados ao assistirem o vídeo. Dando exemplo, o ex-âncora do Jornal da Globo citou Glória Maria, que saiu em defesa do jornalista. De acordo com ele, a profissional foi alertada da possível repressão que poderia receber diante do posicionamento, fato que não foi obstáculo para Glória, segundo próprio Waack. Além dela, o apresentador também recebeu o apoio do jornalista Heraldo Pereira, que considerou a declaração como uma piada besta.